Logo Azul e Laranja de Faculdade (3).png

SOBRE O PROJETO

Trata-se de uma missão fotográfica realizada em Balneário Camboriú, dentro do NEFA BC, com tema Cartografias da Cidade. O processo foi iniciado através de convite para 10 artistas que desenvolvem trabalhos em fotografia autoral.

O trabalho propõe explorar as identidades regionais da cidade, lançando questionamentos sobre a cidade como fenômeno cultural e lugar físico de trocas materiais ou simbólicas, que resultará em um trabalho de documentação poética que será materializado em um livro no formato PDF e
criação de uma projeção multimídia.

Como resultado desta Missão serão realizados a publicação de um livro de fotografia, no formato PDF a ser disponibilizado on-line, e a criação de uma projeção multimídia a ser apresentada na próxima edição do BC Foto Festival.

A missão fotográfica com o tema Cartografias da Cidade, cumpre um papel importante para o desenvolvimento da fotografia de Balneário Camboriú e criando interlocução entre diversos autores.
A fotografia tem papel importante nas nossas referencias visuais, memórias e recordações. No contexto de uma missão fotográfica o fotógrafo passa a ser os olhos do público ao transitar em territórios desconhecidos e trazer através da imagem fotográfica uma leitura poética. Torna-se possível, através da fotografia, apresentar e criar realidades, que podem despertar, e alimentar a memória.

 

As Missões Fotográficas nasceram de um impulso de documentação, ligada ao imperialismo colonialista europeu. O desejo de tudo abarcar por meio da imagem técnica levou diversos fotógrafos a missões de documentação ao longo do século XIX. O conceito de missão, está vinculado a uma proposta permanente ou ocasional, que confia ao fotógrafo ou grupo, uma documentação determinada sobre um território. Como pontos relevantes neste processo ressaltamos a formação de importante arquivo para a memória, com a criação de documentação que pode ser tanto do campo do registro como da poética.
Uma missão fotográfica pode prever a pesquisa sobre diferentes aspectos, geralmente em função de um determinado território, tendo eixos norteadores. Neste sentido, esta missão se baseia em um princípio de troca entre diversos olhares para o território de Balneário Camboriú.
Quais as diferenças de uma missão fotográfica do século XIX para esse experimento? A contemporaneidade vive uma crise de documentação, em um mundo repleto de imagens padronizadas e clichês que não farão parte da memória de nossos descendentes. O que estamos propondo é um retorno a lugares de memória, a partir da poética fotográfica.
Ao combinar o trabalho em equipe com as individualidades de cada fotógrafo, as pesquisas serão orientadas a partir do caráter autoral dos participantes, para então realizar uma coleção de ensaios fotográficos, uma documentação poética sobre nossa identidade, promovendo Balneário Camboriú em Encontros de Fotografia no Brasil e América-latina e no contexto dos Festivais e Editais de fotografia. A cidade é entendida neste projeto como parte do contexto da fotografia Nacional e internacional, mas também como lugar de produção que precisa estabelecer seus circuitos internos. Desta forma, esta missão propõe explorar artisticamente as identidades de artistas e da região, lançando questionamentos sobre a divisão do território, fenômeno cultural e lugar físico de trocas materiais ou simbólicas, para fomentar a relação da produção e pensamento fotográfico contemporâneo como prática local e de diálogo com o universal.
Esta missão busca colocar a produção fotográfica contemporânea de Balneário Camboriú no circuito latino-americano e fomentar os artistas selecionados a participarem do circuito contemporâneo de eventos e editais no campo da fotografia.
A opção pela edição de um livro (PDF) e uma projeção como produto final deste projeto por alguns motivos está no entendimento de que o livro on-line é um espaço expositivo democrático e de maior alcance, e que se alinha com os movimentos atuais de publicações (feiras, encontros, festivais) muito importantes na formação e difusão dos trabalhos fotográficos contemporâneos. Ao passo que o Formato projeção multimídia possibilita a circulação do resultado de forma mais ágil e sem custos de transporte.
Temos convicção de que os resultados deste projeto, além de servirem ao mesmo tempo como um portfólio para os fotógrafos envolvidos, será um importante material histórico e poético para a memória da cidade.

Patrocinio:

WhatsApp Image 2020-11-11 at 09.41.57.jpeg

Produção:                              Apoio

Logo Azul e Laranja de Faculdade (1).png
Logo Azul e Laranja de Faculdade.png
Floripa_na_Foto.jpg
Encontro de livros de fotografia de autor(1).png
logo-laura-lavergne.jpg
download.png
possibilidade_de_logotipo.jpg

EQUIPE

4.png

FLAVIO FERNANDES

COORDENADOR

3.png

LUCILA HORN

ORIENTADORA

1.png

MARCELO FERNANDES

ORIENTADOR

2.png

MARCELO GRECO

CONSULTOR

ARTISTAS CONVIDADOS

Design sem nome(7).png

BOLA TEIXEIRA

Fotógrafo e jornalista. Graduado em História – Univali, com Pós-Graduação em História do Brasil pela mesma instituição. Atuou como repórter no Jornal de Santa Catarina – Repórter (1983-1988), como Assessor de Imprensa na Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú (1989-1991), foi Diretor de redação e fundador do Jornal Página 3 (1991-1995), Diretor de Cultura Prefeitura de Balneário Camboriú (1997-1998), Diretor de Redação da Revista impressa Photos & Imagens (1999-2001/2003-2014) e da Revista impressa Photo Magazine (2005-2014). Editor do site publixer.com.br (desde 2015). Colunista Diário do Litoral (desde 2013 até 2019)

2.png

LUCAS CORREIA

Natural de Londrina/PR e residente no Litoral Norte de Santa Catarina, Lucas Vinicius Correia tem 30 anos, é bacharel em Direito, tecnólogo e pós-graduado em fotografia. É docente do Curso Superior em Fotografia na Universidade do Vale do Itajaí. Com passagem por diversos veículos de comunicação como repórter fotográfico, encontra na área autoral, documental e jornalística seus principais motivos fotográficos. Vencedor da convocatória Existir Resistir, no Festival Floripa na Foto em 2019 e selecionado na convocatória Cartografias Catarinenses em 2020, tem em seu currículo participações em exposições coletivas e premiações fotográficas.  

 

4.png

THAINARA GIRARDI
Balneário Camboriú - 1997. Iniciou na fotografia como expressão em 2015, busca nas suas imagens mostrar sensações que parecem ter sido esquecidas pelo resto do mundo. Participou já em 2015 do Varal Fotográfico, no BC Foto Festival 2015. desde então vem expondo regularmente integrou em Baolneário Camboriú das Coletivas  Inconsciente Coletivo / 2016, Coletiva Fotográfica / 2017 na Faculdade Avantis, Coletiva Fotográfica – Cassia Acosta Art Galery / 2017, Olhares Urbanos – BC Foto Festival / 2017 , Meu Olhar - BC Foto Festival / 2018. Em 2019 fez parte da Feira SURTO - Itajaí/SC e da Exposição Coletiva “Tan Lejos Tan Cerca” - Pilar/Buenos Aires/Argentina, Badía de Vallés/Barcelona/Espanha e Balneário Camboriú/SC/Brasil e do projeto Varal da Veneza - Nova Veneza/SC. Realizou os curso do NEFA BC 2018, ministrado por Claudio Feijó, Lucila Horn, Marcelo Fernandes, Marcelo Greco e Rosely Nagagawa.

Design sem nome (1).jpg

CARLA BORDIN

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC-PR, possui pós-graduação em Fotografia e imagem em movimento pela UP. Fotógrafa e pesquisadora da imagem técnica, estudou fotografia na EFTI em Madri-Espanha, onde viveu por 5 anos. Participou de diversos cursos e expedições fotográficas no Brasil e no exterior. Natural de Foz do Igraçu, atualmente vive e trabalha em Curitiba, onde dedica-se a fotografia autoral e de arquitetura, e a projetos culturais.

6.png

DIORGENES PANDINI

Jornalista pós-graduado em fotografia. Atua no mercado há 9 anos nos principais jornais em Santa Catarina.  Já atuou como editor assistente no jornal A Notícia em Joinville e hoje é repórter fotográfico na NSC Comunicação, para o Diário Catarinense, em Florianópolis, SC. Em 2016 foi para Medellín, na Colômbia, cobrir a maior tragédia do esporte mundial, a queda do avião da Chapecoense. A cobertura foi um dos momentos mais críticos da carreira do fotógrafo e teve grande repercussão no estado. Já em 2018, Pandini esteve na Rússia por 36 dias e fez a cobertura multimídia da Copa do Mundo. Além de fotografias para os jornais impressos e digitais, participou de entradas ao vivo para a rádio CBN/Diário e também fez reportagens em vídeo para o Jornal do Almoço, como fez também entradas ao vivo, diariamente, no jornal Bom Dia SC, ambos programas da NSC TV, filiada da Rede Globo. Foi também durante a cobertura da Copa do Mundo que Diorgenes captou as imagens que fazem parte da primeira mostra individual, a РОССИЯRussia. A exposição aconteceu na Fundação Cultural Badesc, na Galeria Municipal de Balneário Camboriú e no Instituto Internacional Juarez Machado, com curadoria da artista Lucila Horn.

Design sem nome(8).png

RIVO

Natural de Balneário Camboriú, Rivo Biehl tem mais de 30 anos de experiência na área de fotografia, atendendo empresas, agências de publicidade e design de Santa catarina e outros estados. Atua nas áreas de fotografia de arquitetura, gastronomia, publicidade, produtos e corporativo. É palestrante, consultor e instrutor na área de fotografia. Administrador e fotógrafo da DR Pictures Estúdio Fotográfico, localizado na Praia de Taquaras.

 

3.png

CELSO PEIXOTO

Natural de Viamão na grande Porto Alegre RS, Possui Graduação e Pós-Graduação em Fotografia / UNIVALI, Pós-Graduação em Cinema / UNIVALI. Produtor cultural e um dos criadores do BC Foto Festival. Fotografo desde 1999 e trabalha desde 2003 como Repórter Fotográfico na Prefeitura de Balneário Camboriú. Participou do Salão Nacional de Artes de Itajaí, Salão de artes Elke Herink, Maratona Fotográfica de Florianópolis da Fundação Franklin Cascais, Jornada Fotográfica da Fundação de Indaial, Floripa na Foto, Fundação de Blumenau entre outros.

 

Design sem nome(2).png

FELIPE GALARZA

Graduado em Design Gráfico (Univali – 2008), especialista em fotografia pela mesma instituição. Integra o coletivo “OiA” - Observatório de Interações no ambiente, compõe o corpo diretivo do “Hügato” - Instituto de Documentação voltado ao desenvolvi-mento socioambiental. Foi um dos responsá-veis pela formação e coordenação do grupo “Maracatu Nova Lua” de Balneário Camboriú que conta com a par-ticipação de membros da Comunidade Quilombola do Morro do Boi. Participou de iniciativas como NCF - Núcleo Catarinense de Fotografia. Participou do coletivo “Peixaria Cultural”  que realiza “Sarau da Tainha” desde 2014. Foi um dos idealizadores da revista digital “Foto Grafia”, com atividades nos anos de 2010 a 2012. Foi curador da exposição “O mundo está em nossas mãos” que ocorreu na “Rio + 20 e você” no observatório da Gávea no Rio com a participação de fotógrafos que trabalham junto a instituições como WWF, GREENPEACE, NEW YORK TIMES entre outras. Desenvolve atividades como Designer Gráfico, Fotógrafo e Produtor Cultural.

Design sem nome(4).png

SONINHA VILL

Soninha Vill, 1970, vive e trabalha em Florianópolis.Fotógrafa, mestra em Educação e Comunicação pelaUniversidade Federal de Santa Catarina, tem na fotografia oseu campo de trabalho e pesquisa estética. Seus trabalhos documentam e buscam recriar significados,imagens metafóricas para falar de poéticas e engajamento.A paisagem, quando retratada, tem sua forma e conteúdorevistos, o que a torna, muitas vezes, ficcional.Busca nos vazios e nos silêncios de suas imagens elementospara pensar e transformar a sua relação com o mundo.Neste contexto seu trabalho é também um manifestopolítico. Acredita que não há neutralidade e, menos ainda,isenção nas escolhas e recortes que escolhemos mostrar.Participa, em Florianópolis, do Coletivo 7Mulheres.Participa também do Núcleo de Estudos em Fotografia e Arte (NEFA), desde a sua fundação.Nos últimos anos participou de várias mostras e exposições, individuais e coletivas.

Design sem nome(1).png

CICERO VIÉGAS

Fotografo autodidata natural de Cambará - PR. Iniciou sua carreira em 1970 em São Paulo. De 1975 a 1985 realizou viagens pelo Brasil registrando a construção de grandes obras; Hidroelétrica de Itaipu, Rodovia dos Imigrantes, Ferrovia do Aço, para para Novo Grupo Editora Técnica. Em 1990 começou a especializar-se em fotos de Culinária com trabalhos para Editora Globo, Grupo Pão-de Açucar, Sadia, Café Iguaçu, Cica, Kellogs. Fotos para Livro “Viagem Gastronômica”da Editora SENAC. A partir de 1999 teve seu nome incluído no Arquivo de Imagens Internacionais “The Image Bank”. Em 2002, foi o fotógrafo revelação da Revista ABIGRAF, ed. 202. Em 2013, participou da Exposição Simbiosi, Traços e Des-traços realizadas na Biblioteca Municipal BC. Em 2014, participou da da exposição “Inauguralis”, na inauguração da Galeria de Artes da FCBC e da Exposição Coletiva de Artes Visuais e Fotografia em Balneário Camboriú. Foi palestrante na Oficina Fotografia de Arquitetura no BC Foto Festival 2017. 2018 a 2020 -  Inicia fotografias Aéreas com Drone.

1.png

PALOMA GOMIDE

Graduada em Cinema pela UFSC (2011- 2016) e em Fotografia pela Univali (2016- 2019). Participou de vários workshops de fotografia, dentre eles nos festivais de fotografia mais importante do país: "Paraty em Foco" e "Foto em Pauta". Em 2015 apresentou a instalação "W.E" no MIS/SC, e já participou de diversas exposições fotográficas coletivas, como "Diversa" (2018) no Centro de Cultura e Eventos da UFSC e Feira Arte Foto 2019, na Galeria Helena Fretta. Tem como trabalhos recentes Produção de Objetos e Assistência de Arte no curta "Baile" (Novelo Filmes, 2019), estágio no longa "Sobre Sonhos e Liberdade" (Plural Filmes, 2019) e Assistência de Finalização da série "Submersos" (Plural Filmes, 2019). Foi contemplada no Prêmio Catarinense de Cinema 2019 com o projeto de documentário "Onde era mar", curta sobre os manguezais de Florianópolis.